Termogênicos

Ação termogênica significa transformar as calorias provenientes da gordura corporal e da alimentação, em energia. Esses alimentos se tornaram tendência na vida das pessoas que desejam perder peso, porém, nem tudo que é dito sobre os mesmos são verdades. Por isso, hoje vamos esclarecer como certos alimentos termogênicos agem no organismo.

1- Existem dois tipos de termogênicos: os naturais e os industrializados. Os naturais são aqueles encontrados na natureza, como por exemplo, a pimenta vermelha. Já os industrializados são encontrados em cápsulas.

alimentos-termogenicos

2- Os termogênicos não eliminam a gordura corporal, mas potencializam o processo regulado pelo sistema nervoso que faz a transformação da glicose e da gordura em energia. Sendo assim, esses alimentos apenas aceleram o metabolismo, facilitando o gasto calórico.

3- O período ideal para consumir termogênicos é no período diurno, durante uma refeição ou antes de praticar exercícios. Ingerir termogênicos antes de dormir não é indicado, pois causa insônia.

4- Termogênicos são contraindicados para pessoas que sofrem de arritmia cardíaca, entre outros problemas relacionados ao coração. Sendo assim, é muito importante que procure um médico antes de inserir termogênicos para ter certeza de que o consumo trabalhará a favor de seu corpo.

5- O alimento mais citado quando trata-se de termogênicos, é a pimenta vermelha, porém, há outros alimentos que produzem essa ação, como o gengibre, o chá verde e as frutas. A casca da laranja, por exemplo, é rica em termogênico, assim como o guaraná.

6- Apesar do termogênico acelerar o metabolismo, não quer dizer que quanto mais consumido mais resultado. Há um limite estabelecido de ingestão para que o aumento do metabolismo não se torne prejudicial. No caso do gengibre, recomenda-se uma fatia média ou uma colher (café) em pó. Quem prefere o abacaxi pode comer uma fatia após o almoço ou jantar, ou ainda, 200ml de suco da fruta.

 


saiba mais

A esteira é um dos aparelhos mais populares no ramo das atividades físicas. O que mais chama a atenção é a facilidade de exercer a atividade, caminhar ou correr. Mas o que a maioria das pessoas não sabem, é que uma simples caminhada na esteira precisa de alguns cuidados especiais para ter melhor resultado.
Fique tranquilo, vamos compartilhar essas dicas com você para que obtenha um bom retorno com essa atividade! Vamos lá:

1- Se o seu objetivo é perder peso, uma das sugestões é fazer a tradicional alternação de caminhada e corrida. Essa variação de velocidade foi comprovada ser mais eficiente que o exercício no ritmo constante do começo ao fim.

2- Quanto mais inclinada a esteira, mais intenso seu treino será e trará resultados como mais músculos e menos calorias. Panturrilhas, coxas e glúteos são os músculos mais trabalhados.

3- O aumento da velocidade consequentemente aumenta o gasto energético e a quantidade de calorias gastas. Além disso, a caminhada com um passo mais rápido gera condições para um melhor condicionamento físico.

4- Mesclar exercícios trás uma grande diferença para o resultado desejado. Equilibrar a atividade entre esteira e elítico traz benefícios em dobro e você sai da monotonia de malhar em um aparelho apenas.

5- Uma prática muito boa e que nos últimos tempos vem sendo bem utilizada na esteira, são caminhadas em diferentes direções. Andar na lateral ou até mesmo de costas trabalha muito com o equilíbrio e coordenação da pessoa, mas é importante saber seus limites e começar com calma.

6- Uma avaliação física de um profissional de educação física sempre faz a diferença. Com a avaliação é estipulado qual o ritmo adequado para seu exercício, além de avaliar as frequências cardíacas ideais e traçar sua evolução no treinos.

7- Nossa última dica não poderia ser outra, a não ser, respeite seus limites! Este é o ingrediente principal para bons resultados. (:

Fonte: MinhaVida


saiba mais

Elíptico ou Esteira?

Para você que já pensou várias vezes em comprar um aparelho de ginástica para ter em casa, mas na hora ‘H’ fica em dúvida do que comprar, hoje vamos esclarecer as diferenças principais do elíptico e da esteira. No final no post você terá certeza de qual aparelho é adequado para você!

1- Condicionamento Físico
Em ambos os aparelhos dá para fazer exercícios leves, caso você seja um iniciante no quesito exercícios. Então nesta categoria cada aparelho ganha 1 ponto, pois é possível começar com exercícios leves e com o tempo você pode dificultá-los.
Elíptico 1 x Esteira 1

 

2- Impacto nas Articulações
A esteira possui um impacto mais alto, principalmente se o ritmo na esteira estiver mais rápido. Sendo assim, o elíptico ganhou um ponto a mais pra você que é mais sensível à impactos.
Elíptico 2 x Esteira 1

 

3- Trabalho Muscular
A esteira trabalha bem com a panturrilha, coxa, posterior da coxa e glúteos. Além disso, também são trabalhados de forma secundária o abdômen, o chamado músculo eretor da espinha, o sacroiliolombar e os braços. O elíptico também trabalha estes músculos, mas com mais intensidade nos grupos inferiores.
Neste caso, a pontuação vai para ambos os aparelhos, pois depende do que você deseja malhar. (:
Elíptico 3 x Esteira 2

 

4- Treino Variado
A única variação que o elíptico oferece até o momento é o ajuste da carga, intensidade e programas de treinamento. Enquanto a esteira pode ter um treino muito variado. Hoje há esteiras com inclinações para simular subidas e decidas, tem ajuste de velocidade, intensidade do treinamento, além de treino diferenciado.
Neste caso, a esteira tem uma variação maior, o que nossa equipe acha positivo. Então, pontinho para ela.
Elíptico 3 x Esteira 3

 

5- Acima do Peso
Para quem está acima do peso, o mais indicado é adquirir o elíptico. Pessoas com sobrepeso devem fazer exercícios mais calmos e sem impacto. A esteira deve ser adquirida apenas se o treino escolhido seja a caminhada, já o elíptico faz o movimento que simula uma caminhada, totalmente sem impactos.
Elíptico 4 x Esteira 3

 

6- Riscos de Lesão
A esteira oferece um índice maior de riscos por causa do movimento, afetando o joelho. Já o elíptico, tem um impacto menor, oferecendo menores ricos de lesões.
Elíptico 5 x Esteira 3

Embreex

Indiferente de nossa pontuação, os dois aparelhos são ótimos para perder peso ou ajudar a manter a forma. A escolha varia muito do que você realmente quer e precisa!
Esperamos ter lhe ajudado. (=


saiba mais

Abdominais

No post de hoje vamos conhecer melhor essa atividade que tantas pessoas fazem, porém, criando expectativas não reais.
Apenas com abdominal sua barriga não fica definida. O abdominal busca fortalecer e tonificar os músculos, mas não reduzir essa gordura. Para isto, é necessário apostar em exercícios aeróbicos, como caminhada e corrida.
Isso não quer dizer que não adianta fazer abdominais, muito pelo contrário, elas são de extrema importância, mas para um bom resultado é preciso fazer mais exercícios.

É preciso variar os tipos de abdominal para conquistar uma barriga definida.
- Para fortalecer os músculos abdominais oblíquos (mais para o lado da barriga): é necessário realizar exercícios com o tronco girando, com o cotovelo direito apontando para o joelho esquerdo e vice-versa.
- Para fortalecer o músculo reto abdominal (a parte frontal da barriga): faça a abdominal básica.
- Para fortalecer o músculo infra-abdominal (a parte inferior da barriga): invista na elevação das pernas com o tronco na horizontal e levemente flexionado.
- Para fortalecer a musculatura mais profunda do abdômen: invista na prancha no chão (tronco paralelo ao chão, barriga para baixo, apoiado nos antebraços e ponta dos pés).
Músculos fortes melhoram a circulação sanguínea na região, automaticamente, melhorando o metabolismo local e realizando a queima de gordura. Além disso, fazer abdominais ajuda a postura corporal, pois a ação estabiliza o corpo de maneira geral.

abdominais

Dicas importantes:
1- Vale mais fazer 30 abdominais variadas do que fazer 100 abdominais básicas.
Apostar em um número alto de abdominais pode sobrecarregar a coluna, causando dor e até hérnias a longo prazo.
2- Abdominais não devem ser feitos todos os dias. O ideal é que a musculatura tenha um tempo sem esforço.

Fonte: Minha Vida

 


saiba mais

Coxa musculosa

Apesar de não agradar a todos, o modelo corporal musculoso para mulheres vem aumentando bastante. O jornal “o Município” fez uma reportagem sobre o assunto e apresentou loucuras que as mulheres estão fazendo para ficar com um corpo super malhado.

A nova onda do momento é a mulher rã. A rã é um anfíbio que possui pernas traseiras bem fortes. Adaptado ao corpo da feminino, a mulher rã deve ter cintura fina, coxa grossa e canela fina.
Mas para conseguir esse corpo as mulheres estão fazendo o que podem e o que não podem, chegando ao ponto de adquirirem suplementos de proteína, anabolizantes e hormônios em geral.

As pernas respondem bem aos exercícios de musculação, mas para dar o salto da perereca é necessário efetuar um treino de pouca repetição e muita carga, além de muitas horas malhando. Apesar de muito treino, ainda não é possível ficar com a perna super grossa com a musculação. Para isso, é preciso testosterona.

coxa-musculosa1

Se você gostou das características da mulher rã, leia e siga as recomendações abaixo:

Treino para ficar com “super coxas”
- Musculação de até uma hora por dia com dez séries de exercícios para cada músculo;
- Fazer as séries até a exaustão muscular;
- Treinar com sobrecarga (85% da carga máxima, o maior peso com o qual a pessoa consegue fazer o exercício uma única vez);
- Trabalhar a parte da frente e a de trás das coxas: “leg press”, cadeirta extensora, agachamentos, afundos (frente), cadeira flexora, agachamentos, flexão da perna com levantamento de barra de peso (trás).

Descanso
- Treinar a musculatura anterior e posterior das coxas em dias alternados.

Alimentação
- Consumo diário de 2 a 2,5g de proteína por quilo de músculo corporal (uma mulher com 50kg de massa muscular deve comer de 14 a 21 ovos inteiros por dia);
- Reduzir o consumo de carboidratos e gorduras.

Riscos
- Compressão das vértebras lombares, desestabilização dos tornozelos favorecendo torções, lesões nos joelhos;
- Na cadeira extensora ou na flexora, o movimento encurta os músculos da parte inferior das pernas;
- Para manter a alimentação hiperproteica, a pessoa restringe o consumo de outros nutrientes que sobrecarrega os rins;
- Para consumir a quantidade de proteína necessária, a pessoa troca alimentos naturais por suplementos.
FONTE: Jornal o Município.


saiba mais

No post da semana passada, falamos sobre o spinning e publicamos algumas dicas para turbinar as pedalas (veja aqui). E hoje, trouxemos algumas recomendações para que não aconteça nenhum tipo de problema nas aulas, confira:

Para praticar o spinning não existem restrições de idade e nem de peso, no entanto é necessário um atestado médico indicando que a pessoa está apta para fazer esta modalidade. Muita gente não gosta de spinning porque pensa que esse tipo de aula força os joelhos, ocasionando uma lesão. Porém, basta se posicionar corretamente na bicicleta antes de começar para que o treinamento se torne seguro e eficiente. Veja as recomendações do professor Anderson Dias.

1. Altura do banco
Antes de subir, fique ao lado do banco e ajuste-o na altura do osso do quadril. Ao sentar na bicicleta, o seu joelho ficará um pouco flexionado quando o pedal estiver embaixo.

2. Distância do banco para o guidão
É a medida do seu antebraço, do cotovelo até a mão fechada. Para conferir, ao sentar, o seu joelho não deve ultrapassar a linha da ponta do pé.

3. Altura do guidão
Deixe-o mais alto que o banco. Isso garante uma pedalada confortável.

4. Ajuste do firma-pé
Prenda o tênis na fita, deixando-o firme, e coloque o cadarço para dentro, para não enroscar no pedal.

 

Fonte: Boa Forma


saiba mais