Segue abaixo frases de sábios sobre o trabalho:

 

“O prazer no trabalho aperfeiçoa a obra.” (Aristóteles)

“O trabalho é, na maioria da vezes, o pai do prazer.” (Voltaire)

 

 

FELIZ DIA DO TRABALHO!


saiba mais

DIA DO PEDAL 2012

SESC celebra o Dia do Trabalhador com passeio ciclístico
Proposta é envolver a família em uma pedalada pelos pontos turísticos da cidade

 PASSEIO CICLISTICO AS 9h00

                       O SESC – Serviço Social do Comércio de Santa Catarina promove, pelo terceiro ano consecutivo, o Dia do Pedal, evento que celebra o Dia do Trabalhador com um passeio ciclístico para toda a família. Com o slogan “Um giro pelo melhor da sua cidade”, a proposta é realizar um circuito pelos pontos turísticos de cada município, convidando a população a conhecer melhor o local onde vive. O evento será realizado simultaneamente em 24 cidades no dia 1º de maio, com participação gratuita.

                     Paralelamente ao evento, serão realizadas ações gratuitas de educação, saúde, cultura, lazer e assistência, como aulões de ginástica, atividades recreativas, gincanas, oficinas, esportes, conscientização ambiental, Circuito Bike Maluca para criançada e atrações artísticas.

Destaque especial para Apresentação Internacional de Bike Trail com Cris Santos.

Sorteio de diversas bicicletas e mais de 50 brindes

Os primeiros 300 participantes ganharão kits dia do pedal

O que: Dia do Pedal
Quando: 1º de maio – 08h00 ás 17h00 – Início do Passeio Ciclistico ás 09h:00
Onde: SESC Brusque
Quanto: Gratuito


saiba mais

19 de abril – DIA DO ÍNDIO

História do Dia do Índio

Comemoramos todos os anos, no dia 19 de Abril, o Dia do Índio. Esta data comemorativa foi criada em 1943 pelo presidente Getúlio Vargas, através do decreto lei número 5.540. Mas porque foi escolhido o 19 de abril?

Origem da data 

Para entendermos a data, devemos voltar para 1940. Neste ano, foi realizado no México, o Primeiro Congresso Indigenista Interamericano. Além de contar com a participação de diversas autoridades governamentais dos países da América, vários líderes indígenas deste contimente foram convidados para participarem das reuniões e decisões. Porém, os índios não compareceram nos primeiros dias do evento, pois estavam preocupados e temerosos. Este comportamento era compreensível, pois os índios há séculos estavam sendo perseguidos, agredidos e dizimados pelos “homens brancos”.

No entanto, após algumas reuniões e reflexões, diversos líderes indígenas resolveram participar, após entenderem a importância daquele momento histórico. Esta participação ocorreu no dia 19 de abril, que depois foi escolhido, no continente americano, como o Dia do Índio.

Comemorações e importância da data

Neste dia do ano ocorrem vários eventos dedicados à valorização da cultura indígena. Nas escolas, os alunos costumam fazer pesquisas sobre a cultura indígena, os museus fazem exposições e os minicípios organizam festas comemorativas. Deve ser também um dia de reflexão sobre a importância da preservação dos povos indígenas, da manutenção de suas terras e respeito às suas manifestações culturais.

Devemos lembrar também, que os índios já habitavam nosso país quando os portugueses aqui chegaram em 1500. Desde esta data, o que vimos foi o desrespeito e a diminuição das populações indígenas. Este processo ainda ocorre, pois com a mineração e a exploração dos recursos naturais, muitos povos indígenas estão perdendo suas terras.

Fonte: http://www.suapesquisa.com/datascomemorativas/dia_do_indio.htm


saiba mais

Exercícios vigorosos são mais eficientes para provocar o depósito de cálcio nos ossos

Já pensou em tratar sua depressão com exercícios? Pesquisadores da Austrália descobriram que idosos com qualquer nível de angústia podem ser quatro vezes mais propensos a ter limitações físicas, mas a pratica de atividade física pode ajudar a reverter essa relação. O estudo foi publicado no jornal americano Journal of the American Geriatrics Society.

 Liderados pelo PhD Gregory Kolt, da Universidade de Westen Sydney, os pesquisadores analisaram dados de cerca de 100 mil homens e mulheres australianos, com 65 anos ou mais. A pesquisa foi baseada no relato desses idosos sobre função física, angústia, idade, tabagismo, escolaridade, altura, peso e envolvimento deles com atividades físicas.

 A pesquisa apontou que 8,4% dos idosos estavam sofrendo algum nível de angústia. Os que sofriam níveis moderados no passado apresentaram quase sete vezes mais chances de terem limitações funcionais do que os que não tiveram nenhum sofrimento psíquico. Os idosos que eram mais fisicamente ativos, no entanto, tinham menor probabilidade de sofrer limitações funcionais.

A angústia já foi relacionada ao sedentarismo e ao aumento da limitação funcional em várias faixas etárias. Um estudo anterior indicou que aproximadamente 30% da redução da atividade física e do aumento do sofrimento psíquico ao longo do tempo são devido a limitações funcionais e doenças crônicas.

“Nossas descobertas podem influenciar a ênfase que damos a idosos para terem uma rotina ativa?, observa Kolt. “Com maiores níveis de atividade física, ganhos de saúde mais positivos podem ser alcançados e, com maior capacidade física, através da atividade física, mais independência pode ser conquistada.”

Conheça as vantagens do Pilates para idosos

Uma boa sugestão de exercícios para pessoas com mais de 65 anos é o Pilates. A técnica consiste em uma série de exercícios feitos no solo ou em equipamentos apropriados, cuja intenção é trabalhar todos os músculos do corpo de maneira harmoniosa. Segundo a terapeuta Nilza Silva, especialista do Minha Vida, os exercícios são graduados de acordo com a capacidade física de cada aluno, sempre levando em consideração suas restrições a determinados tipos de movimentos.

 São muitos os benefícios proporcionados por essa técnica aos idosos: alívio da dor, maior percepção dos movimentos, fortalecimento muscular, maior equilíbrio, aumento da flexibilidade, alívio do estresse, entre outros. Uma das principais vantagens é a melhora da autoestima do praticante, uma vez que ele consegue realizar uma série de exercícios físicos que, até então, julgava não ser capaz.

A terapeuta Nilza conta que o aumento do equilíbrio corporal também é um grande avanço, já que o idoso tem seu equilíbrio comprometido devido à idade. Tudo isso sem nenhum risco de lesão corporal, já que Pilates é um trabalho aplicado com uma

grande margem de segurança, não cansa e não causa dores musculares posteriores, como é o caso da ginástica convencional.

www.minhavida.com.br

Fonte:Portal Minha Vida 18/4/2012


saiba mais

http://500millasdelnorte.blogspot.com.br/

Publicado por ALEJANDRO SILVERA en 16:12


MALLA A CUADROS SOELITO GOHR: LECCION DE VIDA DE UN GRAN DEPORTISTA

LECCION DE VIDA DE UN CICLISTA QUE SUPERO LAS SECUELAS DE UN GRAVE ACCIDENTE Y TRANSFORMO LA SUPERACION EN MEDALLAS

A CONTINUACION UN ARTICULO DEL SITIO WEB BIKEMAGAZINE.COM.BR QUE CUENTA LA EXPERIENCIA DE SOELITO, QUE NO ES LA PRIMERA VEZ QUE PARTICIPA DE LAS 500 MILLAS DEL NORTE, INCLUSIVE PARTICIPO DE LA VUELTA CICLISTA DEL URUGUAY

“O catarinense Soelito Gohr é um exemplo de vencedor na vida e no esporte. O atleta de 36 anos não se deixou abater no momento mais difícil de sua carreira, em 1995, quando um acidente quase pôs fim a sua vida. Dois anos se passaram até que o dedicado ciclista pudesse voltar às competições.

A volta por cima foi lenta mas trouxe vitórias inesquecíveis. “Eu voltei andando melhor que antes do acidente”, garante.

Nascido e criado em Brusque, cidade com 95 mil habitantes situada no Vale Europeu, o divertido Soelito é considerado o animador oficial da equipe de São José dos Campos e não poupa brincadeiras. “Eu moro no Bairro do Azambuja, perto da igreja Vale dos Milagres, e aqui os milagres acontecem de verdade”.

No mês de maio, o atleta conquistou a medalha de prata na Copa do Mundo de Paraciclismo, em Manchester, na Inglaterra, e é a esperança brasileira de medalha para os Jogos Paraolímpicos de Londres 2012.

Como você ingressou no ciclismo?
Foi em 1986. Eu tinha 14 anos quando comecei na Escolinha de Ciclismo em Brusque. Ela deixou de existir durante um tempo, mas está começando de novo.

É verdade que Brusque é celeiro de grandes ciclistas?
Sim. Aqui é a terra do Murilo Fischer, que mora a 6 km de minha casa. É também a terra de meu primo Itamar Calado, ciclista da Elite que mora na atrás de minha casa. Tem também o Márcio May, que nasceu em Salete, mas veio morar aqui perto de minha casa. Eu corri junto com o May nos tempos de Junior.

Qual foi sua primeira equipe?
Foi a equipe Schloosser, que é uma fábrica de tecidos. Corri para eles até 1990 e depois foi para a equipe FMD (Fundação Municipal de Desporto), de Blumenau.

E como foi o início de sua carreira? Você lembra quando e onde foi sua primeira vitória?
Meu primeiro pódio foi um terceiro lugar numa corrida em volta de um estádio de futebol, no chão batido. A primeira vitória foi logo em seguida, na categoria Mirim. No meu primeiro ano como atleta fui campeão Catarinense Mirim.
Ter uma estatura de 1,89m atrapalha ou ajuda no ciclismo?
Na Europa tem bastante ciclista grande. Talvez atrapalhe um pouco na montanha, porque é muito peso (78kg) para levar pra cima.

Que tamanho de quadro você usa?
Uso bike tamanho 58cm. Meu primo Itamar Calado tem minha estatura e podemos trocar de bike sem adaptações.

Você anda de mountain bike também?
Sim, sempre. Faço como treinamento de base e como forma de aliviar o estresse. Saio sempre com meus amigos pelas estradas de terra da região. Depois que voltei de Manchester, dei um tempo na estrada e rodei muito de mountain bike. Também já corri a Volta a Santa Catarina em Mountain Bike e se tivesse uma bike mais preparada ia competir mais. Também já corri o MTB 12 Horas em quartetos em 2007.

Qual modalidade dentro gosta mais de competir?
Eu gosto da modalidade que dá para ganhar. Não tem uma modalidade específica. Já fui vice-campeão brasileiro de crono e já ganhei várias cronos. Já fui campeão brasileiro de estrada, em 2006, e vice-campeão em 2003. Já ganhei voltas, como a Volta do Paraná de 2004, e tenho dois títulos brasileiros de pista na categoria Junior, ambos de 2001.

Como foi o acidente que você sofreu em 1995 e que quase tirou você do esporte para sempre
Eu estava voltando de um treino, dias antes da 9 de Julho. Uma Kombi cruzou na minha frente. Na época eu corria por Blumenau e tinha 21 anos. Minha cabeça passou, mas bati o ombro esquerdo na coluna do carro e lesionei seriamente o plexo braquial. Dois dos cinco nervos foram arrancados da medula. Fiquei 15 dias no hospital e, quando saí, não consegui mexer o braço.

E como foi a recuperação?
Fiz um monte de exames, pois não sabiam o que acontecia comigo. Passei por várias cirurgias. Tiraram nervos da panturrilha esquerda para colocar no ombro. Fiquei todo cortado. Fiquei dois anos meio de molho e passei um ano de minha vida só dando voltinhas de bike.
Demorou até voltar a competir?
O técnico Claudius Krieger ajudou a me manter na equipe e recomecei minha vida como mecânico da equipe. Depois de algum tempo comecei a competir de novo e fui campeão catarinense na Elite. Passei a andar melhor do que antes do acidente. Em 2001 ingressei na equipe de São José dos Campos e fui campeão brasileiro em 2006, em Londrina. O Renato Seabra ficou em segundo e o Luciano Pagliarini em terceiro.

E ficaram seqüelas?
Não consigo levantar o braço acima da cabeça. Sobre a bike já me adaptei bem e ando normal. Nas competições oficiais de paraciclismo tenho que alterar as maçanetas da bicicleta, para eu não levar vantagem sobre os outros competidores.

Você chegou a pensar em desistir do esporte?
Não, isso nunca passou pela cabeça, estava sempre focado. A única coisa que pensava era em me recuperar. Até hoje tenho as máquinas de fisioterapia na minha garagem. Eu e uns amigos construímos uns aparelhos com peças de bicicleta para eu exercitar meu braço. Nem acreditava que iria andar na seleção de novo.

Mas em 2003 fui para os Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo e fui sétimo na pista. Corri o Mundial na Áustria, o Sul-Americano no Chile, a Volta do Chile etc. Tudo pela seleção brasileira normal. Tinha gente que nem sabia o que eu tinha passado.

Você tem vários títulos na pista. Como você foi parar nas modalidades de velódromo?
Comecei ainda na Junior. O Pedro Medina, o técnico uruguaio da Schloosser, era também técnico da Seleção Catarinense e me apresentou o velódromo da USP. Fomos campeões brasileiros e sempre andávamos bem na prova de 4 X 4 mil e na Perseguição.

E quem deu a idéia de ingressar no paraciclismo?
Isso foi em 2007. Eu havia sido campeão brasileiro de estrada e estava andando bem. A princípio eu não queria ir. O Rômulo, técnico da seleção, falou sobre o Mundial da França e aceitei o convite. Eu topei achando que iria ser fácil, mas o negócio é forte. Fui quinto na crono de estrada e fui oitavo na pista e décimo na estrada. Depois teve o Pan de Cali, na Colômbia, que classificava para Pequim, e fui mais preparado. Bati os europeus e ganhei ouro na Perseguição.

O que é necessário para ser reconhecido como paraciclista pela UCI?
Tem que passar por um exame funcional. Eu tenho a carteirinha permanente. Fiz um exame na França onde fui avaliado por uma comissão de quatro médicos da UCI. Passei por uma análise e uma bateria de perguntas. Eu sou da classe LC1, para quem tem problemas nos membros superiores.

Como foram suas participações internacionais de paraciclismo?
Nos Jogos de Pequim eu fui bem e passei raspando na medalha de bronze da prova de perseguição. Mas faltou preparação. Eu peguei a bike em cima da hora e faltou treinar em velódromo também. Na prova de estrada eu terminei em sexto. Eram 96 km em volta de uma represa, num circuito bem duro. Eu andei escapado com um espanhol e fomos alcançados na última volta. Na chegada teve um tombo e fiquei trancado para esprintar. Na crono eu fui sexto.

Em maio de 2010 fui prata na prova de perseguição na Copa do Mundo, em Manchester, na Inglaterra.

O que foi mais difícil, conquistar a prata na Copa do Mundo de Paraciclismo ou o brasileiro de estrada?
São duas coisas diferentes e ao mesmo tempo bem parecidas. A dificuldade de ambas as provas foi alta. Em 2006, o título de campeão brasileiro foi difícil e ajudou bastante na minha carreira e divulgou meu nome nacionalmente. Na Copa do Mundo de Paraciclismo, em Manchester, a prata deu muita mídia e foi dado bastante valor para essa conquista.

A grande dificuldade no Paraciclismo de pista é o treinamento, pois não temos o velódromo, mas o sofrimento da prova é de cinco minutos. Mas são cinco minutos morrendo. Já no brasileiro de estrada, são horas na bike.

Qual você considera o maior resultado ou vitória de sua carreira?
Foi a minha volta por cima depois do acidente. Isso serve de exemplo para muita gente. Tem gente que passa por qualquer dificuldade e já desiste. Tem pessoas que não dão valor para as pequenas coisas.

A medalha em Londres 2012 está nos planos?
Com certeza. Estou batalhando para isso e já vi que estou perto e não há muita diferença para chegar nos caras. Agora já tenho bike de pista fornecida pelo o Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB), que está apoiando bastante. A CBC agora também está junto com o paraciclismo. Vou correr provas de estrada e crono e no velódromo vou correr o quilômetro e a perseguição.

Publicado por ALEJANDRO SILVERA en 11:05 http://img1.blogblog.com/img/icon18_email.gifhttp://img2.blogblog.com/img/icon18_edit_allbkg.gif
CLASIFICACION GENERAL INDIVIDUAL – GRAN PREMIO INTENDENCIA DE ARTIGAS -IdeA-

ulminada Etapa 2
1o 27 SOELITO GOHR ELI LIBRE BRASIL 3h35’35”
2o 3 FRANCO MARTINS S23 3 FEBRERO ARGENT 3h35’42” a 0h 0′ 7”
3o 18 MARIANO SIMIANE ELI ITALOMAT ARGENT 3h35’48” a 0h 0’13”
CLASIFICACION POR EQUIPOS FINALIZADA 2A ETAPA

1o 3 FEBRERO ARGENTINA 10h47’54”
1o ITALOMAT – ARGENTINA 10h47’54”
1o SAAVEDRA – BELLA UNION 10h47’54”
1o FARMACIA DORITA – BRASIL 10h47’54”
1o PUEBLO NORTE – ARGENTINA 10h47’54”
1o PEGAZO -ARGENTINA 10h47’54”
1o FENIX – MONTEVIDEO 10h47’54”
1o ACIVAS UNIMED -BRASIL 10h47’54”
1o SAN ANTONIO -PAYSANDU 10h47’54”
1o PLATENSE – TACUAREMBO 10h47’54”
1o SELECCION JUVENIL URUGUAY 10h47’54”
12o CERRITO – PAYSANDU 10h48’25” a: 0h 0’31”
12o SALTO NUEVO 10h48’25” a: 0h 0’31”
14o ZORRILLA ARTIGAS 10h48’56” a: 0h 1′ 2”
14o ARROZ 2HERMANOS ARGENTINA 10h48’56” a: 0h 1′ 2”
16o ITAL-SOLEDAD TACUAREMBO 10h49′ 1” a: 0h 1′ 7”
17o SIGLO 21 – PASO DE LOS TOROS 10h49’48” a: 0h 1’54”
18o DEPORTIVO ARTIGAS – ARTIGAS 10h52’51” a: 0h 4’57”
19o ITALOMAT B ARGENTINA 11h 3’23” a: 0h15’29”
20o ASOC PELOTENSE- BRASIL 11h 3’59” a: 0h16′ 5”
21o PEÑAROL TACUAREMBO 11h22′ 7” a: 0h34’13”

Publicado por ALEJANDRO SILVERA en 10:53 http://img1.blogblog.com/img/icon18_email.gifhttp://img2.blogblog.com/img/icon18_edit_allbkg.gif
CLASIFICACION PREMIO HOTEL SAN EUGENIO DEL CUAREIM – MEJOR DE ARTIGAS

Culminada Etapa 2

1o 53 SERGIO ESCARAFONI ELI SAAVEDRA BELLA 3h35’58”
1o 54 MAURICIO MAQUIA ELI SAAVEDRA BELLA 3h35’58”
1o 55 ALVARO MARQUEZ ELI SAAVEDRA BELLA 3h35’58”
1o 58 DIEGO RODRIGUEZ JUN FED ARTIGA ARTIGA 3h35’58”
1o 59 AGUSTIN TRABA JUN FED ARTIGA ARTIGA 3h35’58”
1o 73 NESTOR F SUAREZ ELI ZORRILLA ARTIGA 3h35’58”
1o 79 NICOLAS DA SILVA S23 PROGRESO CANELO 3h35’58”
8o 76 NICOLAS ARAMBURO S23 ZORRILLA ARTIGA 3h38′ 5”
9o 8 JONATHAN AVANTI ELI DEP ARTIGA ARTIGA 3h39’34”
10o. 33 CARLOS TEJEIRA ELI PE¥AROL ARTIGA 3h44’20”
11o 7 JORGE SARACHAGA JUN DEP ARTIGA ARTIGA 3h50’43”

Publicado por ALEJANDRO SILVERA en 10:52 http://img1.blogblog.com/img/icon18_email.gifhttp://img2.blogblog.com/img/icon18_edit_allbkg.gif
CLASIFICACION PREMIO REVELACION HIPERMERCADO TATA

Culminada Etapa 2

1o 17 SEBASTIAN TRILLINI JUN ITALOMAT ARGENT 3h35’58”
1o 34 ADERSON MALDONADO JUN SEL JUV URUGUAY 3h35’58”
1o 35 SEBASTIAN DIRON JUN SEL JUV URUGUAY 3h35’58”
1o 36 JOSE LARROSA JUN SEL JUV URUGUAY 3h35’58”
1o 37 MAURICIO MOREIRA JUN SEL JUV URUGUAY 3h35’58”
1o 38 DIEGO GONZALEZ JUN SEL JUV URUGUAY 3h35’58”
1o 39 MATIAS IBA¥EZ JUN SEL JUV URUGUAY 3h35’58”
1o 58 DIEGO RODRIGUEZ JUN FED ARTIGA ARTIGA 3h35’58”
1o 59 AGUSTIN TRABA JUN FED ARTIGA ARTIGA 3h35’58”
1o 128 AQUILA ROUX JUN FARM DORIT BRASIL 3h35’58”
1o 129 ANDRES GOHR JUN FARM DORIT BRASIL 3h35’58”
12o 123 NICOLAS AVEIRO JUN FCU IND SE URUGUA 3h42’13”
13o 70 WAYNER GADEA JUN POLICIAL M CERRO 3h47’32”
14o 7 JORGE SARACHAGA JUN DEP ARTIGA ARTIGA 3h50’43′

Publicado por ALEJANDRO SILVERA en 10:51 http://img1.blogblog.com/img/icon18_email.gifhttp://img2.blogblog.com/img/icon18_edit_allbkg.gif
2a. etapa clasificación

Promedio del ganador: 42.806 Kmts/h.
1o 27 SOELITO GOHR ELI LIBRE-BRASIL BRAS 2h32’37” Bonif.10
2o 3 FRANCO MARTINS S23 3 FEBRERO ARGE 2h32’50” Bonif. 6
3o 18 MARIANO SIMIANE ELI ITALOMAT A ARGE 2h32’50” Bonif. 4


saiba mais